YouTube, Netllix e o futuro da TV

Imagem

Há cerca 15 anos, ter TV por assinatura no Brasil era motivo de alegria numa família. Canais de todos os tipos e conteúdo como filmes exclusivos, jogos de futebol e formatos de programa que não estavam disponíveis na TV aberta. Porém, surgiu o serviço de pay-per-view, que virou um abuso, tendo canais como SporTV transmitindo uma reprise no lugar de um jogo ao vivo.

Atualmente, a TV por assinatura nada mais é que um serviço convencional que muitas pessoas deixam pela fraca programação da TV aberta, mesmo ela própria não apresentando grandes novidades nos últimos tempos.

Internet e a mudança de comportamento do consumidor

Playstation 3, XBOX 360, Netflix e YouTube talvez sejam os principais responsáveis pelo começo na mudança de comportamento das pessoas quando o assunto é consumo de mídia.

O YouTube traz cada vez mais conteúdo de extrema qualidade, como é possível conferir nos exemplos dos canais Jovem Nerd, Porta dos Fundos, Desce a Letra etc. Se antes o YouTube permitia apenas vídeos relativamente curtos, agora temos programas longos e com alta resolução, podendo dar o play na TV sem aquelas granulações de vídeos em VGA.

Já a Netflix é responsável pela sacudida nas empresas de TV por assinatura que também adotaram o serviço sob demanda. Como disse executivo-chefe de conteúdo da empresa, “eles forçaram a concorrência a ir para a frente”. Como característica-chave, a Netflix adapta o conteúdo ao consumidor e não o contrário, lançando séries exclusivas com todos os episódios de uma vez.

Imagem

XBOX e Playstation foram as plataformas responsáveis pela disseminação do consumo de conteúdos online pela TV. É claro que antes disso devemos considerar  também a importância dos smartphones e tablets nesse processo, mas isso é um outro assunto.

O fato é que a convergência entre internet e TV pautará a nossa maneira de consumir mídia nos próximos anos. Canais abertos ou por assinatura não morrerão por completo, já que uma coberturas ao vivo e “costas quentes” para licenciar determinados produtos é essencial para manter estes canais vivos, mas teremos cada vez mais programas on demand e também mais mudanças nos próximos 10 anos do que tivemos desde 2003.

Enigma e Marco Civil

Uma questão importante a ser considerada: se todos deixarem assinar na TV paga, empresas como NET e Vivo continuarão a oferecer uma banda larga de qualidade para serviços como a Netflix? A questão da neutralidade da web do Marco Civil pode resolver essa questão, mas este assunto é pano para manga...